O machine learning (em português,  aprendizado de máquina) permite criar automações através de uma análise em um conjunto de dados.

É um ramo da inteligência artificial baseado na ideia de que sistemas podem aprender com dados, identificar padrões e tomar decisões com o mínimo de intervenção humana.

Mudança no papel do comprador

O objetivo geral de um profissional de compras deve sempre passar pela busca de uma redução de custos junto dos fornecedores. Certo? Pois bem, neste sentido, surge a tecnologia digital que, dependendo da perspectiva, pode, ou não, facilitar o seu trabalho, ou acabar com ele.

Toda vez em que se fala de uma nova tecnologia, surgem os rumores de que ela vem para substituir o trabalho humano. Mas vou afirmar agora: Não, o trabalho de comprador não vai deixar de existir.

O que vai acontecer é que ele passará para um nível mais estratégico e não tão operacional como é hoje.

Este é um medo que os profissionais da área enfrentam na era da inteligência artificial e machine learning.

Considerando todos os pontos, não fará mais sentido entregar a tarefa a um sistema para compras que tem a capacidade de processar mais dados do que 100 pessoas? Vamos adiante.

Machine learning para mais acertividade

O volume de dados que nossas empresas processam diariamente continua a crescer e, atualmente, os profissionais de compras precisam recorrer a várias fontes de inteligência, dos próprios fornecedores, além de dados financeiramente independentes ou relatórios de notícias.

Segundo Marcos Luiz, co-fundador do CotaPlus – Sistema para compras B2B, “muitas empresas ainda não possuem dados reais sobre suas compras e fornecedores. Já as empresas que os têm, não sabe como utilizá-los”.

A inteligência artificial e o machine learning são adequados a este desafio, e a previsão para o futuro neste âmbito é, precisamente, a colaboração entre os profissionais e a tecnologia, no que diz respeito a compras e gestão de fornecedores.

As máquinas são altamente eficazes para realizar tarefas mais complexas que envolvem problemas bem definidos.

Além disso, estão sempre prontas a utilizar e envolvem um baixo custo de operação quando comparados ao salário e aos benefícios de um trabalhador.

Sim, o fator humano ainda é importante

O interessante é que mesmo utilizando um sistema para compras que ofereça recursos de inteligência artificial e machine learning, as intervenções necessárias de gestores e operadores pode ser feitas a qualquer momento.

O que muda é que tem-se uma capacidade melhor de avaliar as situações, como por exemplo a avaliação dos seus principais fornecedores.

Por hora, “o machine learning ainda não possui os recursos necessários para tomar decisões sozinho, por enquanto”, comenta também Marcos Luiz.

O machine learning (aprendizado da máquina) permite que as pessoas envolvidas no processo de compras possam entrar numa fase posterior, apenas confirmando aquilo que a máquina sugere.

Machine learning a alguns bits de distância?

Todas essas informações que trazemos para este artigo, apontam que seja totalmente viável trazer o machine learning para o setor de compras.

No entanto, um estudo da Forrester Consulting, apontou que isso está longe de acontecer.

O estudo feito mede a maturidade digital e a abertura para adoção desse tipo de tecnologia em seu negócio, considerou que a grande maioria considera dificultoso.

  • 65% das empresas entrevistadas consideram-se “avançadas”, porém apenas 16% detinham o nível necessário de maturidade digital nas suas operações de compras.

Um dos problemas descritos no estudo é o fato de muitas empresas fazerem escolhas iniciais precárias na seleção de tecnologia de compras.

  • 82% das empresas mudaram ou consideram mudar de sistema de compras, onde a justificativa está nos baixos níveis de integração e recursos tecnológicos.

Oportunidade ímpar para gestores de compras

“Gestores de compras têm a oportunidade de oferecer uma verdadeira vantagem competitiva às suas organizações. A transformação digital é fundamental para o sucesso, mas para isso é necessário uma avaliação realista da maturidade tecnológica atual, uma visão clara de cada etapa e da tecnologia certa”, afirma Pedro Subber, Director-Executivo da Subber Consultoria.

Com isso, podemos dizer que aos poucos empresas devem buscar a implementação de sistemas de compras que tragam recursos de IA e machine learning.

Além disso, compradores profissionais podem ficar tranquilos pois seu trabalho continua importante, comprar melhor e melhorar suas operações.

Conta para nós, o departamento de compras de sua empresa está preparada para a adoção dessas novas tecnologias? Se sim, como estão fazendo isso.

Inscreva-se em nossos informativos

Faça sua inscrição e receba os últimos artigos, materiais e novidades de nossa plataforma profissional de compras.

Obrigado, sua inscrição foi feita com sucesso.